Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irmão lúcia



Quinta-feira, 07.10.10

e agora a segunda parte do primeiro tomo, assim espécie de entrada a pés juntos. estudassem, caros 12 leitores, estudassem

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Pedro Vieira às 23:48


9 comentários

De cris a 08.10.2010 às 12:31

gosto muito! só um suspiro: porque é que agora toda a gente diz "um" personagem...? :-(

De LAM a 09.10.2010 às 14:26

porque, segundo umas tretas que eu agora não sei explicar, "personagem" é masculino. (agora não venhas com perguntas difíceis p.f.)

De cris a 09.10.2010 às 16:17

não é nada. desde a sua origem, a generalidade de palavras terminadas em -agem pertence ao género feminino, como garagem, montagem, filmagem, viagem, embalagem... há alguns anos começou a ouvir-se por todo o lado "o" para homens e "a" para mulheres, e agora começa mesmo a ouvir-se "o personagem" para mulheres... enfim, a mim soa-me sempre a unhas a riscar a ardósia...

De Jorge Matos a 11.10.2010 às 16:02

"Persnagem" - Substantivo com os dois géneros (José Pedro Machado)

"Personagem" - Substantivo masculino ou feminino (Dicionário da Academia das Ciências)

De cris a 11.10.2010 às 16:16

pois, eu sei... a academia das ciências já oficializou a coisa. mas como eu dizia, até já ouvi "um personagem" para uma mulher... a respeito, diz entre outras coisas o ciberdúvidas: "Napoleão Mendes de Almeida, no seu excelente Dicionário de Questões Vernáculas (Livraria Ciência e Tecnologia Editora, São Paulo, Brasil) opõe-se deste modo ao emprego de «o personagem», no masculino: «É um francesismo. Acaso, referindo-se a Pedro, pode o leitor dizer "esse pessoa"? Se Pedro é "uma pessoa", ele é também "uma personagem". Personagem não é comum de dois; tem gênero fixo, feminino: essa personagem, uma personagem, as personagens. Personagem muda (e não mudo) é expressão técnica, consagrada, para indicar a personagem que entra nas peças teatrais só para figurar.» "
Enfim, já dizia a outra que "isso agora não interessa nada". Foi só um desabafo. :)

De Jorge Matos a 11.10.2010 às 16:27

Não foi a Academia que oficializou a coisa. A primeira referência que fiz foi ao «Grande Dicionário de Língua Portuguesa» do José Pedro Machado. Um herdeiro do Morais, que não tenho.

Em qualquer dos dicionários se refere que vem do francês "personnage". E repare que "personnage" é masculino, embora tenha a ver com "une personne" que é feminino.

De cris a 11.10.2010 às 17:27

Seja, então, a oficialização atribuída a outros. O que pretendia dizer era que tenho 31 anos, toda a minha vida li e ouvi "uma personagem". Apenas recentemente comecei a ver generalizada (essencialmente na imprensa escrita e televisão, já que nos livros continuo sem me aperceber dessa realidade) a utilização de "o personagem", que me soa muito mal, até por ir contra a generalidade das palavras terminadas em -agem. Por curiosidade, procurei saber de onde viria isto. Ao que me pude aperceber, parece que a situação está registada e não é consensual, mas o que parece sê-lo é que, de facto, desde a sua entrada na língua portuguesa que era feminina, até quando não faço ideia. Vinda, como diz, do francês, onde tem género masculino (como voyage - viagem, aliás). (sobre essa passagem, cito mais uma vez o ciberdúvidas, não por ser definitivo mas por ser o que tenho mais à mão http://ciberduvidas.sapo.pt/pergunta.php?id=28048 ) Há palavras que indiscutivelmente terão dois géneros - selvagem. Há outras que serão indiscutivelmente femininas - viagem. O meu comentário vem apenas da estranheza que me causa ouvir o masculino, como ouvir "a grama" aplicado ao queijo que compramos no supermercado. Até porque, se é tão discutível como pude aperceber-me, não é menos verdade que é observável uma tendência para a generalização do masculino. E isso, como dizia, faz-me confusão.
Peço desculpa ao Pedro por esta usurpação de espaço, juro que não era minha intenção...

De LAM a 12.10.2010 às 13:09

Cris e Jorge Matos,
pois parece que têm razão, eu como de costume é que baralhei tudo. Segundo um expert cá de casa a origem da palavra é grega e era feminina. Entretanto, via francês, foi masculinizada. Segundo os novos dicionários são admissíveis os 2 géneros, O e A personagem concordadndo o género com o sujeito. acho que é mais ou menos isto.
Começo enfim a perceber a fórmula @ para (não)identificação de género; todo o cuidado é pouco.

De ricardo machado a 08.10.2010 às 23:58

Parabéns, pedro!
muito fixe. Um convidado de 1ª "Água", livros na mesa, a camisa do Benjamim. O Marcelo que se cuide.

Comentar post



pagamento de promessas para

irmaolucia[arroba]gmail.com

teologia de pacotilha (descontinuado)

professor josé cid

o meu outro salão do reino (descontinuado)

Arrastão



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D