Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

irmão lúcia



Quarta-feira, 23.07.14

portugalidade

na minha modesta visão a nacionalidade de um indivíduo não passa de um acidente, feliz se acontecer em terra abençoada, desastroso se acontecer em locais como a terra prometida, que ao contrário de outras que fazem a rotação dos solos e das guerras, sempre esteve comprometida com sangue, de moisés a ricardo coração de leão, passando por saladino e aterrando em netanyhau, mas isso são outros quinhentos, hoje desejo fazer um comentário de raspão acerca da minha condição, homem nascido e criado em portugal, com virtudes e defeitos que se associam ao nosso "povo", palavra que até já foi riscada da constituição, e como tal sinto como natural o carinho e a empatia com as minhas raízes, com a minha gente, com as nossas paranóias colectivas, com os nossos erros de palmatória, adoro o cozido da minha irmã e algumas praias do barlavento e o pedacinho da nossa história que me permite escutar o chico buarque sem tradução, mas nada disto me qualifica como nacionalista, não tenho fervor que chegue, até porque se olhar com atenção nacionalismo e europa, à qual estamos ligados, são dois conceitos que normalmente dão mau resultado, e diria que em muitos momentos rejeito até a palavra patriota, agora recuperada por parte da esquerda que vê nela estratégia, porque nesses momentos não tenho vontade nenhuma de servir a pátria, de amar a pátria, de sequer passar a mão no cangote da pátria, e hoje passo por um desses momentos, hoje não quero ser da mesma pátria que o ex-ministro martins da cruz, não quero partilhar memórias comunidade sabores identidade com toda aquela gente que acaba de estender a passadeira vermelha a um regime que carece de palavras sinistras que o qualifiquem, bem sei que temos aliados por esse mundo fora como a arábia saudita, que ao menos tem a opep e não precisa da cplp para nada, e também sei que somos "irmãos" do josé eduardo dos santos e dos golpistas de bissau e dos políticos do mensalão mas há fronteiras que não gosto de ver ultrapassadas, e portanto que se foda a portugalidade e a realpolitik, hoje reclamo o direito a ser ingénuo em política e em decência. hoje tenho vergonha de ser português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

por Pedro Vieira às 09:51


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.



pagamento de promessas para

irmaolucia[arroba]gmail.com

teologia de pacotilha (descontinuado)

professor josé cid

o meu outro salão do reino (descontinuado)

Arrastão



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2006
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D


subscrever feeds